• Plantão

    Pacote de investimentos de Itaipu para movimentar a economia de Foz é chamado de “Plano Marshall”


    Avaliação foi feita nesta segunda-feira (4) na live da Loumar Turismo, num bate-papo com o diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna.

    Em uma live ancorada pelo CEO da Loumar Turismo, Marcelo Valente, o diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna, falou sobre todos os investimentos que a usina está fazendo para transformar a realidade econômica e social de Foz do Iguaçu nos próximos anos. Também participaram da conversa o diretor de marketing da Loumar, Garon Piceli, Rodrigo Ciavaglia e Kaka Souza.

    No bate-papo, Silva e Luna também antecipou detalhes importantes sobre o apoio de Itaipu ao programa Acelera Foz, encabeçado pelo Parque Tecnológico Itaipu e demais instituições. O plano, que está em fase de estudo e será lançado depois de apresentado a todos os parceiros envolvidos, prevê a melhoria da qualidade de vida dos moradores de Foz e região, após a conclusão das obras estruturantes. Uma parte importante do Acelera Foz é a criação de infraestrutura adequada para atender o "novo turista", que, depois da pandemia de covid-19, virá mais exigente em relação à segurança sanitária.

    A live ocorreu na véspera do aniversário de 36 anos de geração de Itaipu, a ser completado nesta terça-feira (5) de maio. Durante a transmissão, Marcelo Valente elogiou e agradeceu a Itaipu pelas obras que a empresa vem fazendo. Valente comparou o pacote de investimentos da usina a uma espécie de Plano Marshall adaptado à realidade local. O Plano Marshall foi desenvolvido pelos Estados Unidos para ajudar na recuperação econômica dos países da Europa, no fim da Segunda Guerra Mundial.



    Para o CEO da Loumar, o compromisso reafirmado pela Itaipu de que as obras não vão parar dão uma grande segurança para o empresariado de Foz. “É um alento num momento de grande aflição.”
    Foz do Iguaçu já vem passando por uma grande transformação. Com investimentos diretos de mais de US$ 1 bilhão, financiados pela usina de Itaipu em obras de infraestrutura estruturantes, a cidade se prepara para os desafios dos novos tempos. O Programa Acelera Foz pode ser a grande virada de chave que vai reconfigurar o status social e econômico de toda a região. 

    Isso porque a iniciativa pretende agregar à atividade vocacional de Foz, genuinamente turística, a inovação. “É a Foz do Iguaçu do futuro já em desenvolvimento”, disse o general Silva e Luna. A intenção é que, até dezembro, sejam colocadas em prática ações divididas em quatro eixos, que são: divulgação e fortalecimento da imagem de Foz do Iguaçu; implementação da inovação e capacitação do setor turístico; atração de novas empresas; e investimentos em tendências na área de tecnologia, como Inteligência Artificial e Cidades Inteligentes. 

    O Programa Acelera Foz pode agregar 300 postos de trabalho direto, capacitar 500 pessoas, criar cerca de 300 bolsas de pesquisa, dar apoio a mais de 250 empresas e atrair 70 novas startups. Com isso, serão 10 mil postos de trabalho impactados. O investimento previsto do Acelera Foz é de pouco mais de R$ 22 milhões. Desse total, cerca de R$ 10 milhões são de Itaipu, outros R$ 2 milhões do Parque Tecnológico Itaipu e mais de R$ 10 milhões de outros parceiros. O retorno esperado é de R$ 435 milhões na cidade, em médio prazo.

    “É a Itaipu ajudando a roda girar, dando sua contrapartida para nossa gente”, disse o diretor-geral brasileiro. Esses recursos só foram possíveis graças a uma reengenharia financeira promovida pela atual gestão da Itaipu, que eliminou convênios e parcerias sem aderência à missão ampliada da usina para investimentos no desenvolvimento regional. 

    O diretor contou que, quando chegou a Foz, em fevereiro de 2019, ao ser nomeado pelo presidente Jair Bolsonaro, buscou identificar quais eram os problemas da cidade e de que forma poderia buscar parcerias dos governos federal, estadual e local para melhorar essa realidade. O turismo sempre foi a âncora nesse planejamento.

    Além de reforçar a vocação da cidade, com obras estruturantes para a melhoria de vida dos moradores, a partir de uma segunda ponte, um aeroporto com condições de receber voos de grande porte, mobilidade urbana e hospital mais bem preparado, entre outras, Itaipu pensou no passo adiante. 

    “Quando a pandemia passar, o turista será mais exigente. Ele estará preocupado com a saúde e também em fazer viagens contemplativas. E o nosso destino estará preparado para isso. Essa é a nossa intenção, por meio de alianças cada vez mais fortalecidas com todos os atores envolvidos”, afirmou Silva e Luna.



    O diretor citou o cronograma das obras, algumas adiantadas e outras dentro do prazo. Ele destacou que os operários trabalham dia e noite para manter a normalidade e, em alguns casos, até antecipar o cronograma, como acontece na ampliação da pista do Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu. A construção da nova ponte entre Brasil e Paraguai está dentro do prazo previsto. Essas obras financiadas por Itaipu garantem mais de mil empregos diretos. “Quando prontas, vão reconfigurar o status de Foz do Iguaçu e de todo o Estado do Paraná”, concluiu Silva e Luna.

    Fonte : Assessoria

    Por: Dr Flavio
    CEO - República De Curitiba Oficial
    Blogueiro, Empreendedor, Produtor Cultural, Social Media e Amante do Direito...
    '' Invista nessa marca, visite nossa loja oficial''

    Nenhum comentário

    Obrigado pelo seu comentário, Lembrando que você é responsável juridicamente por tudo aquilo que escreve e, se solicitado, enviaremos as informações às autoridades competentes caso o conteúdo do comentário afronte a Lei.

    Post Top Ad

    ad728
    ad728

    Post Bottom Ad

    Monitoramento Redes Sociais, Clipping.