• Plantão

    Itaipu e prefeitura de Foz fazem força-tarefa para trazer brasileiros do Paraguai



    Cerca de 60 brasileiros que estavam em Assunção atravessaram a Ponte da Amizade na tarde desta quinta-feira (23). A usina remanejou seu transporte interno e mobilizou cinco ônibus para a operação. 

    Brasileiros residentes no Paraguai, que aguardavam uma oportunidade de retorno ao País depois do fechamento das fronteiras causado pela pandemia da covid-19, puderam iniciar o caminho de volta nesta quinta-feira (23), após uma ação articulada pelas autoridades consulares dos dois países. Uma força-tarefa envolvendo Itaipu, Prefeitura de Foz do Iguaçu e Universidade Federal da Integração Latino Americana (Unila), entre outros, permitiu a entrada no lado brasileiro da fronteira do primeiro grupo, formado por 60 pessoas.



    A expectativa é que aproximadamente 400 brasileiros cheguem à fronteira entre esta quinta e sexta-feira (24),em diferentes horários. A maioria é formada por residentes da Região Nordeste do País, que estudam Medicina na capital paraguaia. Para recebê-los, foi feita uma operação na aduana brasileira, em Foz do Iguaçu, com o apoio de diversas instituições – como Polícia Federal, Defesa Civil de Foz do Iguaçu, 9ª Regional de Saúde, Secretaria Municipal de Saúde  e Unioeste, entre outras entidades, além da Prefeitura, Itaipu e Unila, que trabalham no enfrentamento da doença na cidade.

    Antes de ingressar no Brasil, os repatriados passaram por uma triagem. Nenhuma deles apresentou sintomas do novo coronavírus e foram liberados para seguir viagem às suas cidades de origem ou aguardar em um hotel reservado pelo município. A Itaipu liberou parte dos ônibus usados no transporte de seus empregados para levar os grupos até o local de hospedagem.



    O apoio com o translado atendeu a um pedido da Prefeitura feito pouco antes da chegada dos brasileiros.  Com um remanejamento rápido do transporte interno, a empresa ajudou na logística com cinco ônibus. Os motoristas buscaram os grupos do outro lado da fronteira.

    “A Prefeitura organizou com a Itaipu e o governo do Estado uma operação especial emergencial para trazer e aplicar testagem de covid-19 nos repatriados”, disse o prefeito Chico Brasileiro, que acompanhou a chegada do primeiro grupo. “Temos toda a estrutura para que estas pessoas se sintam protegidas em Foz do Iguaçu e a cidade se sinta protegida com a chegada delas.”

    De acordo com Jorge Aureo, assessor especial do diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna, a solicitação da Prefeitura feita em caráter urgente foi prontamente atendida. “Itaipu tem um GT estratégico de enfrentamento da pandemia na cidade e vai fazer todo o esforço para proporcionar, nesta ocasião, uma melhor acolhida aos nossos irmãos brasileiros que estão chegando a Foz do Iguaçu.”



    Na aduana brasileira, a primeira triagem foi feita dentro do ônibus, antes mesmo do desembarque. O coordenador do enfretamento da covid-19 do município de Foz do Iguaçu, o médico Luiz Fernando Zarpelon, fez as primeiras perguntas para identificar pessoas com possíveis sinais agudos de gripe. “Elas já foram submetidas a uma triagem em Assunção, mas também temos que repetir o protocolo”, explicou.

    Em seguida, elas foram encaminhadas para medição de temperatura,  registro de documentos e passaram por testes rápidos, que identificam a presença de anticorpos no sangue. Eventuais casos positivos de covid-19 seriam encaminhados ao Hospital Municipal, o que não foi necessário: nenhum integrante do primeiro grupo de repatriado testou positivo. 




    Itaipu contra o novo coronavírus

    Itaipu tem sido atuante no enfrentamento ao novo coronavírus em Foz do Iguaçu. A principal medida de apoio foi o encaminhamento de R$ 15 milhões para o Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC) se reorganizar e adquirir insumos e equipamentos para atender à demanda da doença. O HMCC tem 15 leitos da UTI destinados à covid-19 e 12 leitos de semi-intensivo.

    Além disso, o HMCC credenciou o Laboratório de Saúde Única do Centro de Medicina Tropical como representante do Laboratório Central do Paraná para fazer os exames da covid-19, o que diminui o tempo para o resultado dos exames. Entre outras ações, a empresa também adquiriu seis mil testes rápidos e dobrou o fundo de auxílio eventual de US$ 250 mil para US$ 550 mil, o equivalente a R$ 2,7 milhões.

    Fonte - Assessoria

    Por: Dr Flavio
    CEO - República De Curitiba Oficial
    Blogueiro, Empreendedor, Produtor Cultural, Social Media e Amante do Direito...
    '' Invista nessa marca, visite nossa loja oficial''

    Nenhum comentário

    Obrigado pelo seu comentário, Lembrando que você é responsável juridicamente por tudo aquilo que escreve e, se solicitado, enviaremos as informações às autoridades competentes caso o conteúdo do comentário afronte a Lei.

    Post Top Ad

    Monitoramento Redes Sociais, Clipping.

    ad728

    Post Bottom Ad

    Monitoramento Redes Sociais, Clipping.